sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O que é Pedagogia Do Esporte?


Autor: Rafael Hackbarth
Pedagogia Do Esporte. Qual Seu Significado? Sua Caracterização? Qual Sua Finalidade?
O Esporte Como Uma Ciência!
                                  Para disseminarmos um significado caracterizando a “pedagogia do esporte” precisamos percorrer alguns caminhos e irmos à busca de alguns significados para que assim, consigamos ter uma compreensão sobre o objeto de estudo.
                                  Contudo, primeiramente para que consigamos ter um melhor entendimento, iremos fracionar o estudo e conceituar a palavra “pedagogia” estabelecendo seu campo de investigação e significado.
                                  Com isso Durkhein apud Reverdito & Scaglia (2009) buscando um conceito específico sobre a pedagogia afirmou que esta é a reflexão – teoria prática e prática teórica – de forma metódica dos diversos campos de estudos relacionados à educação; é estudo do ensino – historicidade – na busca de uma ideal pedagógico.
                                  Seguindo esta linha de pensamento Reverdito & Scaglia (2009) ainda citam que a esta estabelece seu campo de investigação – científico, filosófico e técnico – nos diferentes aspectos relacionados à realidade educacional, em constante transformação – saber sócio-histórico -, podendo, assim, explicar os objetivos (por quê?, para quê?) e processos de intervenção metodológica (como?) e organizativa (o quê?, quando?) referentes à transmissão-assimilação de saberes e modos de ação.
                                  Com isso é possível salientar que a pedagogia do esporte está justamente voltada ao estudo e/ou a busca por caminhos e processos pedagógicos facilitando as formas de ensino. Então seria esta, no gênese de caracterização, um meio a dar conta de educar o sujeito/indivíduo para a prática esportiva.
                                  Assim, as práticas de ensino carregam consigo muitas responsabilidades voltadas não somente ao ensino do esporte, mas sim aos indivíduos que o praticam, fazendo uso do esporte como mais um ótimo e eficaz elemento de formação humana.
                                  De encontro a este pensamento, volto no tempo e me alimento das palavras de Scaglia (1999), no qual aborda um pouco mais sobre o ato de ensinar:
                                  Salientando que ensinar não é, e nunca será, tarefa simples e desprovida de responsabilidades. Ao ensinar tem-se o compromisso com o formar. Formar o cidadão que, para se superar e ser sujeito histórico no mundo, necessita desenvolver sua criticidade, sua autonomia, sua liberdade de expressão, sua capacidade de reflexão, sintetizando sua cidadania. Assim sendo, aluno/sujeito/cidadão, lapidado por quem ensina, não será mais aquele que simplesmente se adapta ao mundo, mas o que se insere, deixando sua marca na história. (SCAGLIA, 1999, p. 26)
                                  A prática educativa intencional deve ir de encontro a uma pedagogia, e se sobrepor unicamente ao saber técnico-esportivo, mas sim, alicerçada no indivíduo que joga buscando a formação de um ser autônomo capaz de transformar sua realidade e o mundo em que vive.
                                  Portanto com todas essas possibilidades, e com enorme caracterização político sociocultural, o esporte se torna um objeto de conhecimento dentro da área das “Ciências Do Esporte” contemplado de várias responsabilidades, para ensinar o esporte para todos, ensiná-lo bem, ensinar mais do que ele próprio e ensinar a gostar de esporte. (FREIRE, 2002)
Referências Bibliográficas
FREIRE, J.B. (2002). Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. 4ª ed. São Paulo: Scipione.
REVERDITO, Riller Silva; SCAGLIA, Alcides José. Pedagogia do esporte: jogos coletivos de invasão. São Paulo: Phorte, 2009. 264p. ISBN: 978-85-7655-210-9.
SCAGLIA, A.J. (1999). O futebol que se aprende e o futebol que se ensina. Dissertação de mestrado. Universidade Estadual de Campinas. Campinas.                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário